Em entrevista a rádio de Dourados, Lula diz que biografia o credencia a disputar presidência

DOURADOS NEWS


Foto Divulgação

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que a biografia pessoal o credencia para disputar a sucessão do atual mandatário, Jair Bolsonaro (sem partido), nas eleições de 2022.

Em entrevista concedida na manhã desta quinta-feira (14) ao programa Espaço Aberto, da rádio Grande FM, de Dourados, ele afirmou que a candidatura só deve ser definida no início de 2022, mas elencou razões para confirma-la.

“Você só é candidato se as pessoas que compõem o seu partido acharem que você deve ser candidato. Candidato a presidente não é alguma coisa que você acha assim, que vai no programa de TV e acha o Huck, o Faustão, o Datena. Não dá certo, veja o Jânio Quadros e o Collor o que aconteceu”, pontuou.

Lula ressaltou ser “importante ter biografia” e questionou qual candidatura representaria uma novidade para o eleitorado. “Vamos pegar o Brasil como deixei e o que aconteceu depois que eu deixei a Presidência?”, indagou.

“Eu não sou porque quero ser, estou candidato porque meu partido e aliados acreditam que eu tenho competência para resolver os problemas que a elite brasileira nunca teve competência de resolver”, prosseguiu.

Sobre eventuais limitações na campanha presidencial por causa da pandemia, o ex-presidente citou quatro ex-ministros da Saúde como orientadores e declarou que só vai para “quando tiver garantia científica que não vou passar problema para os outros ou para mim”.

“Estou com muita vontade de ir pra rua. Nasci na política em cima de um caminhão na frente das montadoras às 4h da manhã. Já tomei a terceira dose [da vacina contra Covid-19], se disserem que tem que tomar a quarta eu vou tomar. Perdi muitos amigos com Covid-19 e não tenho a aptidão da ignorância que tem o Bolsonaro. Acredito na ciência”, declarou.

Além de defender os 8 anos de mandato que exerceu e acusar ter ocorrido um golpe no impeachment de Dilma Rousseff, sua sucessora, Lula rebateu as acusações contra si e não poupou críticas ao atual presidente da República.

Ao defender que as pessoas sejam civilizadas na política, e citou como exemplo o futebol, brincando com apresentadores Osvaldo Duarte e Cícero Faria, torcedores de Corinthians e Fluminense, respectivamente, que estavam harmoniosamente sentados lado a lado no estúdio da rádio no dia seguinte ao jogo entre as duas equipes de futebol.

Lula também lembrou campanhas eleitorais anteriores e disse que quando saía dos comícios e encontrava em restaurantes candidatos adversários, os cumprimentava com abraço e havia respeito.

Com informações do site DouradosNews

divulgação


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE