Após temporal que causou estragos, Nova Andradina decreta situação de emergência

COGECOM / IMAGENS: PMNA/DIVULGAÇÃO


Foto Divulgação

O prefeito de Nova Andradina, José Gilberto Garcia, decretou situação de emergência no município devido aos fortes vendavais que atingiram a cidade na última sexta-feira (15). O temporal, acompanhado de rajadas de ventos que chegaram até 72km/h, segundo o Inmet, provocou danos e estragos nas áreas urbana e rural.

Há registros de queda de árvores sobre as vias públicas e rodovias da região, como também sobre bens particulares. Placas e outdoors também foram ao chão. Houve destelhamento de bens públicos, áreas comerciais e residências, paralisação da distribuição de energia elétrica e da rede de telefonia celular em diversos bairros e, consequentemente, desabastecimento de água devido ao comprometimento do funcionamento das bombas nos poços artesianos.

 

Já na sexta (15), por volta das 19h, o coordenador da Defesa Civil de Nova Andradina, Hernandes Ortiz, fez um balanço parcial das avarias causadas pela tempestade que atingiu Nova Andradina, Nova Casa Verde e a região, em vídeo transmitido pelo Facebook da Prefeitura Municipal. Equipes da Secretaria de Serviços Públicos e da Defesa Civil atuaram na limpeza e desobstrução das vias, além de apoio aos locais afetados.

 

Nesta segunda-feira (18), quatro dias após o temporal, algumas áreas rurais permanecem sem energia elétrica. Segundo a Defesa Civil, a concessionária Energisa não deu um prazo para reestabelecer os serviços aos consumidores.

 

A publicação deste decreto autoriza a administração municipal a prestar apoio à população e áreas afetadas, mediante prévia articulação da Defesa Civil, além de destinar recursos humanos, financeiros e materiais, veículos e equipamentos.

 

“Nós temos conhecimento do prejuízo de agricultores devido à perda de alimentos e de leite, que deveriam ser mantidos refrigerados, mas devido ao desabastecimento de energia elétrica estragaram. Além disso, a falta de energia comprometeu o funcionamento das bombas que abastecem as propriedades rurais e muitos estão sem água desde o temporal”, relatou Hernandes.

 

A Defesa Civil continua monitorando a situação em todo território municipal e já trabalha na contratação emergencial de equipamentos para evitar ainda mais perdas aos cidadãos do município.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE