Homem tem benefício do INSS cortado e passa fome em Nova Andradina

Justiça determinou implantação do benefício, mas desde setembro INSS não acatou ordem

JORNAL DA NOVA


Foto Divulgação

Sem nenhum auxílio, desamparado e acometido pelas sequelas de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), o nova -andradinense Euclides André do Nascimento vem passando por dificuldades financeiras depois de ter sua aposentadoria cortada pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O benefício foi cortado em julho deste ano e a Justiça determinou a implantação do benéfico em setembro, mas até agora nada.

Euclides conta que trabalhou por mais de 25 anos em frigorífico e recentemente tinha conseguido se aposentar, porém, seu benefício foi cortado há cinco meses, complicando muito a vida financeira dele, que não tem nenhuma outra renda depois de se tornar inválido.

Vizinho tem ajudado Euclides levando alimentos às vezes, mas a situação dele vem se agravando, com dificuldade de se locomover por conta de um acidente vascular encefálico que sofreu há pouco mais de um ano, ele conta que tem dias que seu único alimento é manga, trazida por voluntários.

Euclides tem dificuldades de caminhar - Foto: Luis Gustavo/Jornal da Nova

Desacorçoado, Euclides relatou à reportagem do Jornal da Nova que suas contas de luz e energia estão atrasadas, com iminência de serem cortadas, e ele não tem condições de pagar.

O Poder Judiciário da Comarca de Nova Andradina por meio da 1ª Vara Cível, deu causa ganha para Euclides em setembro deste ano, mas até o momento o INSS não implantou seu benefício e sua situação está complicada.

Um mês depois outro ofício foi expedido pela juíza Ellen Priscile Xandu Kaster Franco, no dia 19 de outubro de 2021. “Defiro. Oficie-se à Equipe de Atendimento de Demandas Judiciais da Gerência Executiva do INSS em Dourados (MS), sito à Avenida Joaquim Teixeira Alves, nº 3070, CEP 79801-017, solicitando a implantação do benefício concedido às f. 205-211, no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de cominação de multa no valor de R$ 10.000,00. No mais, intime-se o requerido para que, querendo, apresente os cálculos de liquidação de sentença, no prazo de 10 (dez) dias. Destaque-se que a apresentação é mera faculdade da parte requerida, sendo que é dever do requerente a sua apresentação”.

Na sexta-feira (26), quando Euclides foi entrevistado, ele disse que havia comido apenas um pão seco que um vizinho havia levado. “É isso, estou inválido e cortaram minha única renda”, desabafa.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE