Com Bolsonaro, PL deve ir de nanico a partido grande em MS

CORREIO DO ESTADO


Foto Divulgação

A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao Partido Liberal (PL) nesta terça-feira pode mais que dobrar o número de partidários com mandato e filiados em Mato Grosso do Sul.

 É no que acredita Filinto Gomes de Abreu, presidente estadual do partido. O PL tem hoje, segundo ele, de 10 a 15 vereadores, um prefeito (Nova Andradina), um vice-prefeito (Dourados), um deputado estadual e 13 mil filiados.

Só na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems), o partido passará a ter, em breve, a segunda maior bancada da Casa com o MDB, com três deputados estaduais cada. 

Além de João Henrique Catan, Coronel David (sem partido) e Capitão Contar (PSL) devem migrar para a legenda. A maior bancada do Legislativo estadual é a do PSDB, com cinco deputados.

Mas, para Abreu, tais números devem ser “ampliados, e logo”. 

“[O PL] vai crescer muito, todos os bolsonaristas devem vir. Agora vamos pensar grande, já trabalhamos várias possibilidades”, disse o presidente provisório do PL, como um aceno já às eleições estaduais do ano que vem, que elegem governador, deputados federais e estaduais e uma vaga para o Senado, no lugar de Simone Tebet, do MDB, cujo mandato expira em janeiro de 2023.

Na Alems, entre os 24 deputados, apenas um integra o PL, João Henrique Catan. Outros dois bolsonaristas devem seguir o rumo político do presidente: Coronel David (sem partido) e Capitão Contar (PSL).

Segundo Filindo de Abreu, a sigla tem comandos provisórios em 34 dos 79 municípios sul-mato-grossenses.

Questionado sobre eventual preferência por pré-candidatos ao governo de MS, se do PSD, do PSDB ou do MDB, Abreu despistou: “Eu, um soldado de Bolsonaro, já tenho minha escolha, mas não vou revelar". 

"Nosso partido vai seguir a orientação do presidente nacional do partido, Valdemar Costa Neto, é o que posso dizer”.

O PL integra o chamado Centrão e sua bancada é uma das maiores no Congresso Nacional. A sigla não tem uma posição ideológica definida.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE