Ex-governador Zeca do PT disse que até ‘reza’ por aliança Lula-Alckmin

CORREIO DO ESTADO / CELSO BEJARANO


Foto Divulgação

Ex-governador José Orcírio dos Santos (1999-2007), o Zeca do PT, que disse ter acelerado os diálogos de olho nas alianças partidárias para a disputa do governo de Mato Grosso do Sul, incluindo o PSD do prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, conforme publicado pelo Correio do Estado na edição de sábado (5), reforçou à imprensa nacional a ideia de acertar na eleição um combinado PT-PSD.

Ao UOL, ele disse estar até ‘rezando’ para dar certo a aliança entre o ex-presidente Lula com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, hoje no PSDB, que pode trocar de sigla, indo para o PSD.

‘Minha intuição, que significa a minha reza, tende a dar certo. Torço para que dê certo porque é a melhor proposta para o Brasil’, disse Zeca ao UOL, referindo-se a eventual aliança Lula-Alckmin.

Ao Correio, Zeca disse que aqui em MS, o PT tem conversado, além do PSD do prefeito Marquinhos, que ensaia sua pré-candidatura ao governo do Estado, também com o PC do B, PDT, Rede, Solidariedade e ainda com o PV.

Marquinhos cujo mandato de prefeito expira somente em dezembro de 2023 ainda não oficializou sua pré-candidatura. Contudo, mostrou-se animado com as recentes pesquisas de intenção de voto, que indica a liderança dele como o preferido na corrida pela sucessão do governador Reinaldo Azambuja, do PSDB.

Até agora, já disseram ser cem por cento pré-candidatos Zeca do PT e Eduardo Riedel, secretário estadual do PSDB.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE