Foi confirmada, na tarde de ontem, a segunda morte causada pela H3N2 em Mato Grosso do Sul.

MIDIAMAX


Foto Divulgação

A vítima é uma idosa de 76 anos, moradora de Corumbá, que estava internada há oito dias, publicou o "Midiamax".

 

De acordo com o assessor militar da Secretaria Estadual de Saúde, Marcello Fraiha, a vítima teve os primeiros sintomas em 17 de dezembro e deu entrada no pronto socorro no dia 20 deste mês, falecendo na manhã de ontem.

 

Essa é a segunda morte causada pela doença em Mato Grosso do Sul, a primeira trata-se de um jovem, de 21 anos, que deu entrada no Centro Regional de Saúde do Bairro Nova Bahia em Campo Grande no dia 20 de dezembro e veio a óbito no dia 21 de dezembro.

O paciente morava em Campo Grande e não apresentava histórico de comorbidades. O segundo óbito acontece na mesma data em que um salto nos casos da doença é registrado em Campo Grande, mesmo município onde foi registrado o primeiro óbito pela doença.

 

A Secretaria Municipal de Saúde informou que foram registrados ontem 41 casos da cepa H3N2, um aumento de 31 casos comparados com a ultima segunda-feira, quando foram registrados 10 casos.

 

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde de Campo Grande José Mauro Filho, não existe motivo para ‘pânico’ e que a atualização da vacina que previne contra a H3N2 já deve acontecer logo nos primeiros meses de 2022.

 

Até lá, qualquer sintoma de síndrome gripal tal como febre, dor de garganta ou dor no corpo, é preciso procurar uma unidade de saúde com urgência para o início do tratamento.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE