Governo descarta adotar novas medidas restritivas para conter Covid e H3N2

CORREIO DO ESTADO


Mato Grosso do Sul não irá adotar novas medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19 e da Influenza H3N2, por hora.

 

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (10), após reunião do comitê gestor do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir).

 

Conforme o presidente do Prosseguir, Eduardo Riedel, o aumento no número de casos de Covid e Influenza levou as equipes a discutirem possíveis novas medidas e ações para enfrentamento das doenças virais.

 

No entanto, a avaliação é de que o cenário atual não carece de medidas mais extremas.

 

"Nosso objetivo é medir, monitorar, acompanhar e tomar as decisões em função dos números e da realidade e não iremos tomar nenhuma medida de restrição ou fechamento de qualquer atividade que seja", disse.

 

Também não haverá exigência do chamado passaporte da vacina.

 

Apesar de não haver determinação de restrições pelo governo, os municípios têm autonomia caso decidam restringir atividades.

 

A nível estadual, se casos continuarem a aumentar, especialmente se pressionarem o sistema de saúde, a decisão será reavaliada.

 

"O aumento exponencial de covid não tem se traduzido em aumento proporcional de internação", disse Riedel.

 

Segundo ele, no fim de ano, muitas pessoas relaxaram nos cuidados preventivos, especialmente relacionado a aglomerações e falta do uso de máscara, que contribuíram para o surto de doenças respiratórias.

 

Outro ponto que foi levado em consideração o índice de vacinação no Estado.

 

Ainda segundo Riedel, dados apontam que, no Brasil, 95% dos casos confirmados é de pessoas que não se vacinaram.

 

Desta forma, o governo decidiu apostar nas estratégias de prevenção, testagem e vacinação, e não restrições.

 

"A gente acredita que mantendo o foco na vacinação e retomando, por parte das pessoas, um cuidado maior, a gente vai atravessar essa onda", acrescentou.

 

Ações

A testagem em massa é uma das estratégias a serem adotadas pelo governo do Estado para monitorar os casos de Covid-19 no Estado,

 

Nesta segunda-feira (10), 80 mil testes foram distribuídos para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

 

"Quanto mais testagem tivermos, maior compreensão nós temos da doença e possamos construir estratégias para enfrentar", disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

 

Para ampliar a testagem, também serão reabertos drive-thrus para a realização de testes em Campo Grande e no interior.

 

Outra estratégia é a vacinação, com o apelo para que quem ainda não tomou a primeira dose ou que estão com a segunda e terceira em atraso, procurem unidades de saúde.

 

A imunização de crianças de 5 a 11 anos deve começar ainda nesta semana, caso o Ministério da Saúde envie as doses, que estão previstas para chegar no dia 13 de janeiro ao Estado.

 

"Se chegar dia 13, poderemos ter condição de iniciar no dia 14, pelo menos aqui na Capital, e no dia 15 vamos ter dose para nossas crianças em todos os 79 municípios", avaliou Resende.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE