Ministério Público investiga desmatamento de 23 hectares do bioma Pantaneiro em MS

MIDIA MAX


O MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito civil para apurar a supressão de 23,43 hectares de vegetação nativa do bioma do Pantanal, em uma fazenda localizada na zona rural de Sonora, município distante 351 quilômetros de Campo Grande.

 

Conforme edital publicado no Diário Oficial do MPMS, assinado pelo promotor de Justiça Thiago Barile Galvão de França, o caso veio à tona a partir de um levantamento de imagens de satélites realizados pelo núcleo de monitoramento do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis.

 

A partir das imagens, equipes fizeram fiscalização no local e constataram o desmatamento. O proprietário alegou ter autorização e disse que a supressão seria serviço de limpeza de pastagem, alegando que tirou a vegetação rasteira, mantendo árvores.

 

No entanto, o Ibama confirmou que as áreas apresentadas tratam-se de áreas remanescentes de vegetação nativa em cerrado, meio pelo qual a atividade desenvolvida no local apresentado seria ilegal. Assim, o MPMS apura o ocorrido e solicitou diligências em buscas de mais informações sobre o caso.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE